Curral Novo do Piauí encerra diagnóstico da situação financeira e mapeamento aponta oportunidades

Foto aérea do município de Curral NovoExpectativa é que medidas de modernização da gestão, que devem ser focadas principalmente nas áreas de Educação e Saúde, tragam benefícios para a população

Curral Novo do Piauí (PI) tem cerca de cinco mil habitantes, 21 anos de existência e começa a colocar em prática uma série de novidades desde que a prefeitura local firmou parceria com o Programa de Apoio à Gestão Pública (AGP), em fevereiro deste ano. Após um processo de diagnóstico que analisou principalmente a situação fiscal do município, surgiram caminhos para a modernização dos processos internos.

O relatório final dessa primeira etapa apontou oportunidades de crescimento de receita e diminuição de despesas que devem refletir diretamente em todas as secretarias, mas de forma mais intensa nas de Educação e Saúde. O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) em Curral Novo está abaixo da média das cidades do estado e a expectativa é que o processo de modernização da gestão contribua para as melhorias nessas áreas e consequentemente para elevar o índice.

A escolha dessas duas áreas críticas foi definida a partir em uma estreita parceria entre a prefeitura e o AGP.  O programa chegou à cidade junto com o primeiro mandato do prefeito Abel Francisco de Oliveira Junior e nesses primeiros meses de trabalho houve grande cooperação e envolvimento de ambas as partes no levantamento e análise de informações.

“Todo começo é de adaptação e tivemos que entender como estava cada área com profundidade. Foi um processo feito junto: conseguir as informações, ter o cenário. O relatório mostra exatamente o que está acontecendo na cidade e na gestão da financeira. Sabemos onde precisamos e podemos atuar mais agora”, disse o prefeito.

Caminho de aprendizados

Segundo o técnico de contabilidade da Prefeitura de Curral Novo, Antônio Raimundo do Nascimento, os desafios que surgiram nesse período de elaboração do diagnóstico já foram apontando pontos de atenção para possíveis mudanças. As dificuldades estavam ligadas à falta de registros, ausência de profissionais especializados em algumas áreas e também a falhas no processo de transição da gestão.

“Somos muito dependentes de outros profissionais da região. Não temos faculdades aqui e nem sempre é fácil ter pessoas com o conhecimento técnico necessário. Quanto aos números, quando o AGP chegou e fomos fazer o levantamento, corremos atrás de uma série de documentos, mas ou foi difícil encontrar ou não encontramos mesmo porque parte não tinha registro e outra se perdeu na transição de mandatos”, explicou Nascimento.

Para fazer o diagnóstico, houve grande mobilização do prefeito, servidores públicos, secretários e representantes da unidade local da Votorantim, pessoas que formaram o grupo de modernização de gestão municipal. O técnico da prefeitura explicou que diagnóstico reforçou a real importância do controle das informações para a gestão. “Sem a participação da população e o conhecimento real da situação financeira do município, é grande o risco de investir no que parece ser melhor, mas que não é realmente prioritário e necessário.”

De olho no futuro

Viviane Vieira, consultora do Instituto Áquila, que participou do processo de diagnóstico, explicou que normalmente é mais difícil para os municípios menores equilibrar suas despesas por terem menos estrutura, mas ressaltou que Curral Novo tem condições de melhorar sua gestão e investir no que realmente precisa.

“Muitos municípios brasileiros estão com problemas de ingerência, redução de receita e déficit em suas áreas. Curral tem receita aumentando por conta da movimentação de negócios dos últimos tempos, com empresas chegando, repasses que não foram modificados nesse período instável na política e economia. E agora, com o diagnóstico, sabe onde deve mexer para não enfrentar dificuldades no futuro”, contou.

Agora é hora de pensar na segunda fase desse plano de modernização. Segundo Viviane, ficou claro que o maior orçamento do município é o da Educação, mas este também foi o que menos sofreu uma avaliação cuidadosa ao longo dos últimos anos. “O volume do orçamento não se traduz em resultados e satisfação da população. Colocamos possibilidades de economia e priorização de gastos. Sugerimos, por exemplo, o acompanhamento de um nutricionista para a compra da merenda escolar para que haja um investimento mais certeiro do orçamento e traga benefícios à população”, explicou.

Apoiar a implementação das ações do plano, focar no aumento de receita com melhor gestão orçamentária e reduzir desperdícios são metas assumidas pelos secretários de cada pasta e pelo grupo de modernização de gestão municipal. Curral Novo tem muito trabalho pela frente, mas a cidade se mostra pronta para virar o jogo.