Diego Amorim:“A comunicação na gestão pública é indispensável à democracia e à cidadania plena”

Foto de um homem de aproximadamente 35 anos, olhando para a esquerda e sorrindo.Nesta edição do Boletim AGP, conversamos com Diego Amorim, diretor de Comunicação da Prefeitura de Aripuanã (MT), que avalia os principais desafios e a importância da comunicação na gestão pública.

Amorim tem 33 anos, é publicitário, natural de Cuiabá (MT), e já trabalhou em empresas, agências de propaganda e ocupou posições em secretarias de Comunicação em outras cidades. Mora em Aripuanã há dois anos e desde o início de 2017 está à frente do departamento de Comunicação do município.

1 – Em sua opinião, qual o papel da comunicação na gestão pública?

O papel da comunicação na gestão pública é estabelecer um diálogo entre a administração e a sociedade, primando por atuar de forma ampla e transparente. Nosso foco principal é a formação de uma sociedade mais democrática e participativa. A comunicação é uma ferramenta indispensável à democracia e à cidadania plena e deve prezar pela diminuição de barreiras entre a administração e a comunidade para garantir à sociedade civil o direito de acesso a informações de interesse público.

2 – Nesse seu período à frente da área de comunicação em Aripuanã, qual vem sendo o principal desafio?

Para mim, um dos principais desafios nesta gestão vem sendo buscar canais e ferramentas que levem o cidadão a alcançar, interpretar e compartilhar informações e também a interagir com a gestão. Outro desafio importante deste início de gestão – e que enfrentei não apenas aqui, mas também em outros municípios por onde passei – é manter o funcionamento dos processos de divulgação de informação enquanto se está realizando a reestruturação do departamento. As transições de governo ainda não acontecem da forma que deveriam do ponto de vista de passagem de informações. Então, é necessário sempre fazer ajustes e reestruturações, mas sem deixar de garantir à população o acesso às informações.

3 – É diferente cuidar da comunicação em uma cidade de menor porte do que em uma cidade grande? Quais diferenças você aponta?

Estar em uma cidade grande ou pequena não determina o potencial da comunicação. O interior tem a mesma necessidade de uma capital. O que muda nesse aspecto, em minha opinião, é a proporção de investimento e a inovação das ações desenvolvidas. Mas em pequenos ou grandes centros, o que o cidadão valoriza é a credibilidade da informação oferecida.

4- O uso cada vez mais amplo das tecnologias, em especial as móveis, como é o caso do celular, tem mudado a forma de a gestão pública se comunicar e se relacionar com os cidadãos? De que forma?

A ampliação do acesso às tecnologias permite o surgimento de novas ferramentas voltadas à gestão pública. Além de aproximar o cidadão do serviço público, as tecnologias garantem mais agilidade, transparência e um melhor acompanhamento dos acontecimentos e dos investimentos públicos. Isso traz benefícios para todos que de uma forma ou outra são atingidos por esse processo. Ao se sentir mais perto do gerenciamento da cidade, o cidadão tem a sensação de pertencimento aumentada e, consequentemente, ajuda a fiscalizar melhor que está sendo feito com o dinheiro público.

Para mim, a comunicação na gestão pública deve não apenas aproximar o cidadão da esfera administrativa, mas também permitir a participação e interferência, seja defendendo, criticando, opinando ou deliberando sobre as diversas questões da ordem social.

5 – Acha que há uma demanda maior dos cidadãos por transparência na gestão pública? E como isso vem sendo tratado em Aripuanã?

Com certeza. No cenário político que estamos vivendo, os governos têm o dever de dar transparência às informações da administração e a sociedade tem o direito de acesso a essas informações para poder fazer o acompanhamento da gestão da coisa pública como forma de consolidação da cidadania.

Em Aripuanã, estamos estimulando a transparência, ampliando a divulgação das ações governamentais. Estamos reformulando o site, temos páginas do prefeito (facebook.com/jonascanarinho) e da prefeitura no Facebook (facebook.com/prefeituraaripuana) e também uma conta no Instagram (@aripuanaprefeitura). Em breve, devemos ter canais do YouTube e no Twitter.

O propósito de nosso departamento de comunicação ao trabalhar com as mídias sociais é restabelecer esse elo entre a administração e a população que vem se perdendo. Acreditamos que não adianta só criar o perfil nas redes sociais para falar de si mesmo o tempo inteiro. O importante é criar diálogo, interagir e estar aberto às manifestações dos cidadãos.