Empresas do Grupo Votorantim fazem balanço do AGP e falam sobre perspectivas

Foto de um balão de diálogo rosa, similar aos das histórias em quadrinhos, apoiado em um fundo de madeira escuraNesta última edição do ano, representantes das seis empresas do Grupo Votorantim que apoiam o desenvolvimento do programa responderam à seguinte pergunta:

Como você avalia os avanços do Programa de Apoio à Gestão Pública em 2016 e qual sua expectativa para o próximo ano?

Confira as opiniões a seguir:

Fibria

Marisa Coutinho, coordenadora de Relações Corporativas

Pela primeira vez, iniciamos na região leste de Mato Grosso do Sul ações que contemplam a metodologia AGP. Conduzida de forma participativa pela sociedade, na cidade de Brasilândia a população pôde trabalhar na elaboração de seu primeiro Plano Diretor Participativo (PDP) e o município de Três Lagoas desenvolveu o projeto Três Lagoas Sustentável, que caminhou em paralelo com dois produtos: a revisão do Plano Diretor Participativo e a elaboração do Plano de Ação Três Lagoas Sustentável. Em Três Lagoas, além do Instituto Votorantim, BNDES e da Fibria, o programa reuniu, pela primeira vez, parceiros como o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), por meio da metodologia ICES (Iniciativa Cidades Emergentes e Sustentáveis), e o Instituto Arapyaú, com sua expertise em monitoramento cidadão.

É importante destacar o programa trouxe avanços significativos em relação à participação cidadã na política: Brasilândia fundou seu primeiro Conselho das Cidades e Três Lagoas reuniu mais de 40 pessoas de 31 instituições diferentes na formação do Grupo Gestor Local, que acompanhou e ajudou na elaboração do projeto. A Fibria acredita que, ao apoiar a implantação de um programa que permite o crescimento de forma planejada e estruturada, ela contribui com toda a comunidade. Da mesma forma, a participação das comunidades nestas ações, juntamente com os setores público e privado, valida as propostas técnicas que serão apresentadas e nortearão as melhores ações para os próximos anos, fazendo com que a iniciativa se torne da cidade, para a cidade. A expectativa é que a iniciativa siga, em 2017, para etapas de implementação e consolidação das ferramentas de gestão pública, assim como a institucionalização e fortalecimento da participação popular.

Companhia Brasileira de Alumínio

João Borges Lacet Montenegro, analista de Responsabilidade Social

O Programa de Apoio a Gestão Pública teve uma grande contribuição neste ano, principalmente pelo escopo bem estruturado e uma equipe de consultores que não mediram esforços para atender as demandas tanto da atual gestão quanto da unidade. Focaram nas lacunas existentes nos trabalhos de gestão de custo da prefeitura, colaborando na estruturação de um plano de gestão para diminuir despesas e aumentar a receita, que foi muito elogiado pelo próprio prefeito e amplamente utilizado por ele em reuniões. O trabalho do AGP, mesmo sendo realizado em período curto, de agosto a dezembro, obteve um avanço significativo nos resultados alcançados. Para 2017, esperamos que esse trabalho continue avançando, visando áreas mais complexas (saúde, educação, licitações, entre outras) que ainda precisam evoluir um pouco.

Nexa

Bruna da Silva Lima, coordenadora de Responsabilidade Social

Durante o ano de 2016, tivemos entregas importantes do Programa de Apoio à Gestão Pública nos municípios em que a VM atua. Em Aripuanã (MT), foram desenvolvidos quatro planos setoriais (Plano Diretor do Município, Plano Municipal de Saneamento Básico, Plano Municipal de Mobilidade e Plano Municipal de Habitação) . Como parte do Plano de Modernização da Gestão, foi realizado o diagnóstico da situação completa da prefeitura em Caçapava do Sul (RS). Já em Três Marias (MG), dando seguimento ao Plano de Modernização da Gestão realizado anteriormente, enfocamos em melhorias na área de saúde, aprimorando o controle de informações e melhorando processos.

Para 2017, nossa expectativa é atuar no desenvolvimento de Planos Plurianuais de Governo nos sete municípios do Brasil onde atuamos. Com as trocas de prefeitos, acreditamos que este é o momento ideal para iniciar essa nova frente, muito alinhada ao nosso planejamento estratégico, em que temos como objetivos o reforço do diálogo com as comunidades, a transparência e a ampliação das parceiras multissetoriais.

Votorantim Cimentos 

Sabrina Oliveira Costa Espínola, analista de Responsabilidade Social da Regional Nordeste

2016 foi um ano de conquistas importantes em Sobral (CE). Como parte da frente de Modernização da Gestão, conseguimos concretizar junto à prefeitura e às secretarias a revisão dos planos orçamentários, que têm o objetivo de oferecer mais qualidade nos serviços prestados aos cidadãos. Tivemos ainda o lançamento do Sobral de Futuro, que construiu junto com a sociedade uma visão de desenvolvimento para os próximos 30 anos.
Para 2017, o desafio é trabalhar essas frentes de forma mais integrada e fazer com que o grupo gestor do Sobral de Futuro se aproprie do plano para que ele se torne de fato política pública. Também temos como meta contribuir com a administração municipal na construção do Plano Plurianual de governo.

Votorantim Energia

Daniela Gerdenits, consultora de Responsabilidade Social

O Programa de Apoio à Gestão Pública iniciou em 2014 a etapa de modernização no município de Votorantim, que mobilizou todas as secretarias para mostrarem suas realidades e projetarem metas estruturadas para o futuro com vistas ao equilíbrio financeiro fiscal e captação de recursos. Finalizado em junho de 2016, os resultados foram além das expectativas, principalmente em relação à captação de recursos externos. Para cada R$ 1 investido pelo programa, o município conseguiu alavancar outros R$ 50. Isso foi inédito no contexto do programa como um todo e mostrou que o engajamento foi ferramenta fundamental no processo.

Já na linha de ordenamento territorial, iniciada em fevereiro de 2016, trabalhamos com o plano municipal de mobilidade urbana e rural. O plano trouxe outro olhar para o município e influenciará todas as secretarias na tomada de decisões, como por exemplo, a localização de escolas e postos de saúde. O plano foi levado para a votação na Câmara de Vereadores e estamos no aguardo de sua aprovação.

Dessa forma, fechamos o ano de 2016 com muitas vitórias, ferramentas e funcionários capacitados que poderão auxiliar o próximo prefeito e equipe a gerir com maior qualidade o município. Nesse contexto, nossa expectativa para 2017 é apresentar todos esses ganhos para a nova gestão e que muitos frutos saiam a partir dos aprendizados.

Legado das Águas

David Canassa, Diretor

O AGP foi fundamental para o desenvolvimento da parceria entre o Legado das Águas e as prefeituras de Miracatu, Tapiraí e Juquiá, onde apoiamos os avanços do programa. As três cidades têm baixo IDH, e a evolução na gestão foi nítida. Todas as metas de alavancagem de receitas e redução de custos foram atingidas e o obtivemos um aprimoramento dos gestores públicos. Novas perspectivas se abrem agora, com a busca de novas oportunidades na região.