Encontro da Atuação Social Votorantim

Compartilhar, debater ideias que proporcionem mais qualidade nos resultados das atividades das empresas, promover reflexões sobre o planejamento social das investidas da Votorantim e ampliar o diálogo sobre as tendências a longo prazo no âmbito do investimento social privado, foram os principais objetivos do Encontro da Atuação Social da Votorantim, realizado entre 30 de julho e 3 de agosto. Com periodicidade anual, o evento reúne lideranças das empresas investidas e convidados.

Como foi?

Durante o Encontro, a troca de impressões e novos insights foram surgindo nas rodas de conversa. O destaque do primeiro dia foi o curso “Empresa + Comunidade”, realizado pela RedEAmérica e ministrado pelo professor Roberto Gutiérrez Poveda, doutor em sociologia pela John Hopkins University e associado da Universidad de los Andes School of Management (UASM) e a diretora executiva do RedEAmérica, Margareth Flórez. No dia seguinte, o compartilhamento de cases marcaram o tom das conversas. Felícia Castro, chefe de relações comunitárias na Nexa Peru, falou sobre o relacionamento com comunidades locais; Sabrina Espinola, analista de responsabilidade social sênior, abordou o fortalecimento da cadeia produtiva do Babaçu, em Sobral (CE); e Sérgio Oliveira, consultor de responsabilidade social da Nexa, abordou o desafio do relacionamento com as comunidades tradicionais, em Aripuanã (MT). Para finalizar a programação do dia, foram realizadas dinâmicas que proporcionaram a reflexão de situações hipotéticas sobre as possibilidades e desafios nas localidades que a Votorantim atua. A quarta-feira foi marcada por um painel sobre as “Conexões Sociais”, mediado por Rafael Gioielli, gerente-geral do iV, com a participação de Margareth Flórez, José Marcelo Zacchi, secretário-geral do GIFE (Grupo de Institutos, Fundações e Empresas), Oscar Vilhena Vieira, diretor e professor da Fundação Getúlio Vargas São Paulo e Hector Gomez Ang, country manager para o Brasil da International Finance Corporation (IFC). Na sequência, ocorreu o painel “Diálogos Improváveis”, momento em que as lideranças das empresas investidas puderam conversar sobre temas diversos com empreendedores e comunidade. Com sete rodadas de dez minutos cada, duplas de convidados trocavam de posicionamento e vivenciavam a experiência de serem entrevistados e entrevistadores. Lívia Tatiana dos Reis, estudante de Três Marias (MG) e vencedora do Desafio Criativos da Escola, roubou a cena e emocionou o público ao compartilhar sua experiência. “Saber que diversas pessoas não tiveram a oportunidade de aprender a ler e escrever nos motivou a ensiná-los e, com o apoio do PVE (Parceria Votorantim pela Educação), tivemos o poder de transformar a comunidade”, disse.
Os dois últimos dias foram dedicados às Oficinas de Mobilização do PVE, promovidas em parceria com o CEDAC e CENPEC. Foram desenvolvidas atividades em grupos para promover a interação entre diferentes agentes do programa e o compartilhamento de cases de cada localidade e suas peculiaridades regionais. Além disso, a matriz de competências – uma novidade lançada na oficina de pactuação em fevereiro – foi reapresentada e as novas estratégias foram baseadas nos desdobramentos dos últimos meses. Por fim, foram destacados os Planos de Ações de Mobilização e a importância do voluntariado para a construção de redes, como é o caso do Desafio Voluntário e do Criativos da Escola. Para os próximos meses, iniciam-se os ciclos 3 e 4 para os mais de 100 municípios participantes do programa.
Para acessar os conteúdos e peças de comunicação da Central de conteúdo do PVE, acesse: http://bit.ly/2MvEYq4