Projeto social fornece tecnologias de segurança hídrica, sanitária e alimentar a famílias de Curral Novo do Piauí

Promover benefícios sociais significativos e duradouros nas localidades de atuação é uma das maneiras que as empresas investidas da Votorantim contribuem para a construção de uma sociedade mais justa e sustentável. E com base nesse pensamento, diversos projetos espalhados por todo o país saem do papel e auxiliam no desenvolvimento das comunidades mais necessitadas, como é o caso do “Bem Viver no Semiárido”, lançado em Curral Novo do Piauí (PI).

A iniciativa é do Instituto Votorantim em parceria com a Fundação Banco do Brasil (FBB), a Votorantim Energia (VE) e a Cáritas Diocesana de Crato. A celebração de lançamento ocorreu na última quinta-feira (28/02), na capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Juazeirinho. Na ocasião, foi realizado um encontro com as famílias atendidas e a comunidade da região rural para explicar como irá funcionar o projeto.

A coordenadora do Programa ReDes e de Apoio à Gestão Pública (AGP) do iV, Christiane Camargo, ressalta que o objetivo é fazer com que as famílias que vivem na Serra do Inácio tenham melhores condições de vida. “O projeto visa apoiar a infraestrutura e o desenvolvimento de tecnologias sociais para garantir o direito básico de acesso à água da população local”.

Para o gerente dos complexos eólicos da Votorantim Energia, Igor Américo, as questões sociais são uma parte da base da empresa. “Poder estar aqui e retribuir para a sociedade em termos de cultura, aprendizado e melhorias é uma forma que a empresa encontra para retornar a verba e aplicar nas questões sociais. Aqui, nos sentimos parte da comunidade e, fazendo o bem, nos sentimos bem também. Temos projetos sociais em várias áreas, que vão desde a geração de emprego até a preparação da comunidade e todos os benefícios que vêm da construção dos complexos eólicos”.

 

Pedagogia do Ajuntamento

Segundo Verônica Carvalho, membro da organização Cáritas Diocesana de Crato e coordenadora da implementação do projeto em campo, a premissa para colocar a iniciativa em prática é que, quando o povo se junta, o poder se espalha. “Nós somos os movimentos sociais, organizados e não organizados. Então, criamos a expressão Pedagogia do Ajuntamento, que nada mais é que juntar pessoas, independentemente das ideologias, para aprender a ouvir o próximo, construir consensos e descobrir soluções para os problemas, transformando a região e trazendo dignidade às pessoas”.

Juntas, a FBB e a VE irão investir R$ 1 milhão em dois anos. A meta é que, ao fim do período, as famílias tenham e saibam manejar as tecnologias sociais implantadas como cisternas, bioágua, quintais, banheiros e energia – além de promover a ampliação e diversificação de plantas alimentares e nativas, garantindo maior segurança nutricional. O projeto visa também fazer com que 50% das famílias produzam e comercializem o excedente da produção, respeitando os princípios da socioeconomia solidária.