ReDes: Grupo de Afinidades reúne novos negócios inclusivos

Representantes de novos negócios inclusivos participaram da primeira edição do Grupo de Afinidades do Programa ReDes de 2018.  O encontro, que aconteceu no início de junho, conectou as unidades da Votorantim Cimentos de Sobral (CE), Votorantim Energia de Curral Novo do Piauí (PI) e a equipe do Legado das Águas também o Sindicato Rural de Tapiraí (SP). O tema foi “Metodologia do Programa ReDes: diálogo e troca de experiências” e participaram somente projetos que se integraram em 2018 ao ReDes.

Apesar de ser a primeira do ano, esta foi a décima edição dos Grupos de Afinidades, que são encontros virtuais entre integrantes e lideranças de negócios inclusivos de diferentes regiões do país, com o objetivo de promover a troca de experiências e o compartilhamento de desafios e boas práticas. Esses encontros surgiram em 2014 para promover trocas entre os grupos apoiados, seja no campo da atividade produtiva, do perfil dos participantes ou mesmo dos desafios compartilhados.

Assim como nas últimas edições, o encontro contou com a presença de um especialista para responder dúvidas dos participantes. Desta vez, como o foco do bate-papo foi a nova metodologia do ReDes. Os representantes dos grupos produtivos puderam tirar dúvidas sobre como será a implementação do programa com a então consultora de dinamismo econômico do Instituto Votorantim, Denise Maellaro Ferreira. Ela apresentou o histórico do programa, desde sua criação, em 2010, a partir de uma parceria entre o Instituto Votorantim (iV) e o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Desde 2013, já foram apoiados 55 projetos e gerados mais de R$ 64 milhões em renda (de 2010 a 2017).

Os quatro projetos participantes do encontro (veja abaixo quais são), juntamente com outros três, fazem parte do primeiro grupo a aplicar a nova metodologia, um trabalho realizado pelo programa nos últimos dois anos com o apoio do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). “Muita coisa deu certo nessa trajetória, mas também entendemos que havia vários pontos que poderiam ser melhorados. E nesse intuito fizemos uma revisão da metodologia que agora está sendo aplicada com novos projetos que se integram ao ReDes”, contextualizou Denise.

Os grupos participantes explicaram o objetivo de seus negócios e também tiveram a oportunidade de apresentar seus projetos e contar em que fase se encontram. Em Sobral, já foi contratado o gestor interno que irá apoiar na implementação do negócio. “Nosso projeto reúne cinco associações dos municípios de Meruoca, Alcântara e Massapé e esse apoio será muito importante para nossa proposta de beneficiar babaçu e comercializar o óleo”, destacou Ronaldo Moraes Nascimento, da Associação Nossa Senhora da Conceição, proponente do projeto.

Os grupos de Curral Novo e Betânia do Piauí tiraram dúvidas sobre possíveis remanejamentos de orçamento – que precisam ser aprovados pelo Comitê do ReDes. Já a associação de Tapiraí, que reúne famílias que produzem legumes, cada uma em sua própria área, compartilhou com os participantes a ideia de realizar a produção coletiva em uma área comum para gerar recursos para alavancar o negócio. “Foi ótimo poder entender melhor o que vem por aí. Tentamos tirar o máximo proveito dessa oportunidade”, afirmou Sueliene Rodrigues Lima, secretária da Associação das Pequenas Produtoras Rurais da Serra do Inácio, responsável pelo projeto Mulheres Fortes. Adolfo Damian Jara Mendez, secretário da Associação Rural Comunitária de Promoção Humana, de Tapiraí, reforçou a importância da troca de informações com participantes que vivem outra realidade. “Nunca tinha participado de uma videoconferência. Foi muito bom poder conhecer outros projetos, apresentar nossas ideias e trocar experiências”, destacou.  

Conheça os projetos participantes

 

Fortalecimento da Cadeia Produtiva do Babaçu – Sobral (CE): Fortalecimento da cadeia produtiva do babaçu e conservação da fauna e da flora remanescentes de Mata Atlântica. Reúne cinco comunidades da região da Serra da Meruoca.

Sonho do Futuro para uma Produção Forte – Curral Novo do Piauí (PI): Aprimoramento da produção de ovinos e caprinos com comercialização coletiva e direta, insumos adequados e de baixo custo e busca de parceiros comerciais.

Mulheres Fortes – Betânia do Piauí (PI): Fortalecimento da produção de mandioca e a agroindústria para pequenas produtoras rurais por meio de capacitação, comercialização coletiva e ampliação dos derivados de mandioca.

Agricultura Familiar de Tapiraí – Tapiraí (SP): Aprimoramento da qualidade e produtividade dos legumes e desenvolvimento da comercialização para ampliar a renda da agricultura familiar.

Saiba mais sobre o Programa ReDes em www.programaredes.com.br.