Aposta na educação

Em uma década de existência, o programa Parceria Votorantim pela Educação (PVE) alcança a marca de 104 municípios com ganhos consistentes de qualidade

De 2017 para 2018, o programa Parceria Votorantim pela Educação (PVE) mais do que dobrou de tamanho e consolidou avanços importantes. Dos 95 municípios auferidos internamente, 93 apresentaram avanço na régua de competências consideradas essenciais e 68 (72%) atingiram as metas definidas para o ano. Além disso, de acordo com a avaliação de impacto realizado por consultoria externa, considerando os resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2017, o PVE contribuiu para acelerar o alcance dos resultados da rede pública de educação dos municípios participantes em 35% no Fundamental I, considerando o período entre 2013 e 2017, e em 52% na rede pública no Fundamental II para o mesmo período.

O aumento na cobertura de municípios foi o resultado de um trabalho iniciado três anos antes, quando a Votorantim escolheu a educação como um dos motes da comemoração dos seus 100 anos de fundação e estabeleceu a meta desafiadora de chegar a 100 municípios no ano da comemoração. Em 2016, o PVE era realizado em 17 municípios; em 2017, eram 51. Esta ampliação e os resultados alcançados pelo programa somente foram possíveis devido ao grande envolvimento das empresas investidas e suas lideranças, que entendem que contribuir para a educação é um investimento importante para o desenvolvimento territorial dos municípios onde as empresas atuam e, consequentemente, muito benéfico para a produtividade das empresas em si.

Reconhecido como uma tecnologia social pela Fundação Banco do Brasil, o PVE está presente em 17 estados em todas as regiões do país. Em 2018, 104 municípios fizeram parte do programa, sendo 66% deles predominantemente urbanos. São 81 pequenos municípios (até 50 mil habitantes), 9 cidades médias (entre 51 mil e 100 mil habitantes) e 14 com mais de 100 mil habitantes. Entre as empresas investidas, Votorantim Cimentos, Fibria e Votorantim Energia concentram o maior número de projetos, com 25, 23 e 24, cidades impactadas, respectivamente. Mas todas as demais – Nexa Resources, Citrosuco, Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), Reservas Votorantim e Banco Votorantim – além da própria VSA, desenvolvem a iniciativa.

O PVE está alinhado ao quarto Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que é Educação de Qualidade, que busca “assegurar a educação inclusiva e equitativa de qualidade e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos”. Com a mensagem “Estar presente faz a diferença”, o programa atuou em 1.130 escolas em 2018, por meio da mobilização de mais de 162.000 pessoas da comunidade, além de impactar 360.000 alunos, pais, professores, gestores e outros integrantes da comunidade escolar.

Para facilitar o desenvolvimento das competências, sua metodologia prevê a definição anual de um tema transversal, que perpassa todos os ciclos formativos e gera impactos positivos significativos no curto prazo. Em 2018, esse tema foi “Gestão com foco no acompanhamento da aprendizagem”, escolhido por se entender que a aprendizagem e seu acompanhamento devem ser prioridade de toda a equipe de gestão educacional e escolar. Além disso, este tema está muito alinhado com a atual etapa de implantação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), política pública que determina os conhecimentos e habilidades essenciais que os estudantes devem ter direito a aprender, ano a ano, ao longo de toda a sua vida escolar.

A coordenadora da área de Capital Humano do Instituto Votorantim, Anna Christina Nascimento destaca que “é importante garantir que o aluno esteja realmente aprendendo, o que, às vezes, não é tão fácil no dia a dia do ambiente escolar”. Para isso, o Instituto desenvolveu ferramentas de gestão e indicadores que auxiliam na análise e no diagnóstico do estágio de cada escola para a elaboração de planos de ações, acompanhados com cuidado. “Esse é um tema desafiador, pois o acompanhamento rotineiro da aprendizagem não faz parte da cultura escolar, mas a cada ano vamos aprimorando as ferramentas como instrumentos de observação das habilidades dos alunos”, afirma.

Para 2019, o desafio é aprofundar a cultura de acompanhamento da aprendizagem, por meio do aprimoramento das ferramentas de gestão e identificação de problemas educacionais nos municípios. Além disso, o programa passará a se chamar Parceria pela Valorização da Educação, de modo a refletir um caráter mais abrangente e inclusivo para envolver outras empresas além da Votorantim. A Suzano, que desde o fim de 2018 controla a Fibria, antiga operação da Votorantim no setor de celulose, é a primeira a se unir a esse esforço.

PVE EM NÚMEROS – 2018

Competências essencias do PVE

Processos de gestão
  • Registro e documentação
  • Acompanhamento de aprendizagens
  • Constituição de equipe colaborativa
  • Parcerias e mobilização social
  • Articulação das ações da escola e políticas da rede
  • Formação continuada
  • Gestão de recursos
Mobilização
  • Conhecimento sobre educação
  • Atitude e disposição para agir
  • Estrutura de uma rede local pela educação
  • Vitalidade de uma rede local pela educação
  • Abrangência de uma rede local pela educação

Mobilização/Processos de gestão

Case:Alumínio – SP

O PVE acontece em Alumínio desde 2016. Ele integra a atuação social da Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) e seu desenvolvimento aconteceu em paralelo com uma mudança importante adotada pela Secretaria Municipal de Educação, que mudou do regime seriado para o sistema de ciclos. Para a Secretária Municipal de Educação, Andreia Juliana Pires, o PVE foi fundamental como suporte ao diagnóstico das necessidades e melhoria do planejamento. “Cada grupo de professores definia o que ia ser feito de uma forma, não havia unidade nem dentro de uma mesma escola, agora, realizamos o planejamento de toda a rede ao mesmo tempo”, conta. O planejamento é feito quatro vezes por ano, a cada bimestre, e funciona também como um momento de formação para os profissionais envolvidos.

Outra iniciativa do PVE que inspirou melhorias na secretaria foi a aplicação da metodologia dos Indicadores de Qualidade da Educação (Indique), desenvolvida pela Ação Educativa, com apoio do UNICEF e do Ministério da Educação e que propõe o envolvimento de toda a comunidade escolar em processos de melhoria da qualidade educativa. A aplicação da metodologia em 2017, que permitiu ver como o sistema escolar estava na ótica dos pais e o município decidiu, por meio de um decreto, tornar a aplicação obrigatória todos os anos.

A realização de mudanças no sistema educacional com o apoio do PVE possibilitou que o município de Alumínio tivesse um avanço expressivo na última edição do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Nos anos iniciais, o índice subiu de 5,4 em 2015 para 6,6 em 2017, superando a meta do programa para o período (6,2). Nos anos finais, a evolução no período foi de 3,9 para 5,1, pouco abaixo da meta (5,3).