Desafio voluntário

Focado em educação e cidadania, o Desafio Voluntário de 2018 mobilizou mais pessoas e atuou em sinergia com o programa Parceria pela Valorização da Educação (PVE)

Embalado pela temática da comemoração do 100º aniversário da Votorantim, “Educação e Cidadania”, o Desafio Voluntário 2018 contou com a participação de 5.263 pessoas (52% funcionários e 48% convidados) que doaram seu tempo para realizar 1.248 ações. Destas, 1.112, quase 90% do total, foram voltadas à educação em municípios atendidos pelo PVE [link para PVE] e focaram em atividades como contação de histórias, apresentações musicais e de teatro, campanhas de arrecadação de livros e materiais escolares.

Por meio de uma competição saudável, a iniciativa incentiva a mobilização e promove a integração de funcionários e convidados com as comunidades onde estão as unidades de negócios. Ao todo, 78 unidades das empresas investidas da Votorantim participaram, incluindo duas no Peru. Um dos destaques do ano foi a participação dos líderes, que se envolveram diretamente nas ações e ajudaram a alavancar a pontuação das equipes, já que levar líderes para as atividades práticas rende muitos pontos.

Como novidade, foi realizada uma ação relâmpago voltada ao tema “cidadania”. Os empregados de todas as unidades foram incentivados a divulgar o Guia do Voto .

Conexão

Peças de comunicação específicas e conversas diretas com os líderes de equipes mantiveram vivo o tema do voluntariado ao longo de todo o ano. Por meio do serviço de atendimento Socorro Voluntário, disponível no WhatsApp, e do grupo “Voluntários Votorantim”, no Facebook, os interessados recebiam suporte para o relato e a contabilização das ações e podiam esclarecer dúvidas em qualquer dia e horário. Também mudou o sistema de pontuação: com pontos para os voluntários que indicaram outros voluntários e pontos extras para as ações realizadas em escolas.

Na avaliação de Raquel Leite, analista sênior de Capital Social e Institucional do Instituto Votorantim, os resultados mais significativos desta edição comprovaram que a forma diferenciada de incentivar as pessoas a se engajarem foi uma estratégia acertada. “Podemos comemorar a maturidade do voluntariado corporativo, e para 2019 faremos uma reflexão sobre o modelo com o intuito de promover melhorias e deixá-lo mais fácil”, comenta.

O sistema de reconhecimento foi ampliado. Além do ranking por unidade de negócio, foram criadas categorias específicas para valorizar os destaques de empregados, convidados, grupos de mobilização do programa Parceria Votorantim pela Educação (PVE), escolas e instituições. “Oferecer um reconhecimento diferenciado foi uma das mudanças da estratégia alinhada à área de educação do Instituto Votorantim para incentivar ainda mais as pessoas a participarem das ações e para recompensar quem já trabalha com esses temas, caso dos grupos de mobilização”, explica Raquel.

Ao final da competição, na categoria empregados, os dez primeiros colocados ganharam pontos no programa de benefícios DOTZ e puderam trocar por prêmios na plataforma. As escolas, instituições e grupos de mobilizadores receberam prêmios em dinheiro. As unidades vencedoras ganharam troféus e os convidados, certificados de participação.

A Nexa Resources ficou em primeiro lugar nas categorias de unidades e grupos de mobilização. A lista completa dos vencedores está disponível em: http://voluntarios.votorantim.com.br/.

Desafio Voluntário em Números

DEPOIMENTOS DE QUEM PARTICIPOU

Nesta edição, os voluntários mais ativos entenderam melhor o programa e motivaram outras pessoas a participar. Houve bastante incentivo ao engajamento e chegou um momento em que a adesão era espontânea: um contagiava o outro. A nossa meta era realizar 900 horas de voluntariado, mas alcançamos 2,8 mil. Visitamos todas as escolas da cidade para fazer um diagnóstico e isso já proporcionou uma grande aproximação com o universo a educação. Escolhemos trabalhar com uma escola coabitada no bairro São Jorge: de manhã funciona como Escola Estadual Manuel Pereira e, à tarde, como Escola Municipal Clarinda Firmina Araújo Santos, que era a que mais precisava. Fizemos a reforma de telhado, pintura e jardinagem, consertamos as carteiras e trocamos todos os vidros. Foi uma transformação gigante. Também fizemos gincanas, participamos de reunião pedagógica e vimos uma maior aproximação entre professores e alunos. Aprendemos muito com o universo da educação ao participar de uma realidade que não era a nossa. Os ganhos superaram a premiação do Desafio Voluntário”.

Alice Mascarenas Castilho

Analista de Responsabilidade Social na Nexa (unidade Três Marias)


Nessa minha segunda participação no Desafio Voluntário, foi muito enriquecedor ver que geramos impactos positivos para pessoas que realmente precisam. Tiramos um tempo da vida pessoal para fazer o trabalho voluntário, mas era divertindo e ainda fizemos novas amizades e conhecemos pessoas de bem. Além disso, foi gratificante ver que nós, da fábrica, conseguimos incentivar moradores a também se engajarem e com isso gerar mudanças na comunidade de Aguaçu. Fizemos uma ação estrutural na escola do local, que estava com as paredes caindo ou mofadas, instalamos ventiladores nas salas de aula para amenizar o calor e colocamos lâmpadas. Também levamos palestras de conscientização sobre temas importantes, como suicídio e eleições, e mesmo depois que acabou o Desafio Voluntário, mantivemos a parceria. Levamos informações dos movimentos Outubro Rosa e Novembro Azul e combinamos que todas as ações educacionais que vierem para a fábrica serão replicadas na comunidade, que é carente de informações. Conseguimos unir a comunidade e mostrar o poder de fazer a diferença”.

Diego de Oliveira Costa

Coordenador de Mineração na Votorantim Cimentos (unidade Cuiabá)