VC e Reservas Votorantim conquistam prêmio no FIR 2019

Na última edição do Fórum Internacional RedEAmérica (FIR), que ocorreu em março deste ano, diversas empresas, fundações e institutos se reuniram em Salvador (BA) para refletir, discutir e apresentar soluções relacionadas ao tema “A contribuição da diversidade para a promoção de comunidades sustentáveis”.

Dezenas de projetos foram inscritos e alguns foram homenageados por suas iniciativas de qualidade na quarta edição do Prêmio Transformadores da RedEAmérica.

Foi o caso da Votorantim Cimentos e da Reservas Votorantim, que receberam destaque na premiação entre as mais de 92 inscrições de 13 países da América Latina, com direito à reconhecimento outorgado pelo júri. As ações propostas pela VC e pelas Reservas, que venceram na categoria Negócios e Comunidades Sustentáveis para organizações não membros da RedEAmérica, foram “Projeto de Apoio à Cadeia do Babaçu” e “Legado das Águas, Reserva Votorantim”, respectivamente.

Projetos inspiradores

A iniciativa de Apoio à Cadeia do Babaçu, na Serra da Meruoca (CE), envolve oito comunidades e mais de 50 agricultores familiares, que aumentaram a sua renda mensal em 63%. Além disso, contribuiu para a preservação da Mata Atlântica, dinamizou a economia local e incentivou o babaçu como uma fonte de energia alternativa para a produção de cimento.

O Legado das Águas, Reserva Votorantim, por sua vez, promoveu a criação de um novo modelo de gestão de ativos ambientais, contribuindo para o desenvolvimento econômico e social da região, gerando recursos para a empresa e conservando a floresta. A região é a maior reserva privada da Mata Atlântica, com 31 mil hectares, e é administrada pela empresas Reservas Votorantim. Como parte da iniciativa, foi desenvolvido o Plano Turístico Regional Integrado, que tem como foco a melhoria da qualidade dos serviços, da infraestrutura e da organização do setor, além de aumentar a competitividade local.

Com essas experiências apresentadas no Fórum, as empresas investidas da Votorantim mostram que é possível fazer uso sustentável dos serviços ecossistêmicos do território, gerando, ao mesmo tempo, um retorno social e econômico para a empresa e a comunidade.